Português para Estrangeiros

Arranque em Setembro Ler mais

PORT_PARA_TODOS

Curso de Língua Portuguesa – Programa PPT – Português Para Todos.

Aviso:

Estão abertas as inscrições para o Curso que irá decorrer na cidade do Porto (Junho 2016). O horário será em regime pós-laboral – de segunda a quarta-feira das 19 horas às 22 horas.

O Certificado dá acesso à Nacionalidade Portuguesa e à Autorização de Residência Permanente (é um dos requisitos).

O programa e restantes informações poderão ser obtidos contactando CFP –  Centro de Formação Profissional de Atlas -Cooperativa Cultural, CRL, na Rua do Bonjardim nº 618, 2º Dto 4000-118 Porto

Telefone: 222 083 409 / Telemóvel: 937 818 013

Email: atlascoop.dfp@gmail.com

OBS: O Curso terá inicio para Junho de 2016.

12920334_1072645149443996_7174630374545605413_n

Atlas Cooperativa Cultural prepara-se para lançar curso de português para estrangeiros

Entre outubro deste ano e abril de 2016, poderá inscrever-se no curso de Português para Estrangeiros, ministrado pela delegação de Braga da Atlas.

O mês de outubro arrancará com um novo curso de Português para Estrangeiros, que será ministrado na Atlas/Braga, até ao dia 6 de abril de 2016. A iniciativa é dirigida a imigrantes e trabalhadores estrangeiros que pretendam uma melhor integração na sociedade portuguesa.
Os interessados terão de efetuar a inscrição junto dos serviços Administrativos da Atlas Cooperativa Cultural de Braga, utilizando os contactos abaixo indicados, e submeter-se à realização de exame de nível A2 para obterem, junto do SEF, o título de Residência e, junto do Ministério da Justiça, a nacionalidade Portuguesa.

As inscrições terão lugar entre os dias 1 de setembro e 2 de outubro. Para mais informações, poderá contactar:

Atlas – Cooperativa Cultural, C.R.L.
Rua Santa Margarida, nº 2 A – 3.º andar – Sala 1 – 4710-306, Braga
253 273 165 / 938 787 420

Curso de Português para Estrangeiros – Braga – 2015

No âmbito da programação de atividades para o 2ºsemestre de 2015, a Delegação de Braga da Atlas Cooperativa Cultural vai realizar um Curso de Português para Estrangeiros que terá início a 02 de Dezembro de 2015.

 Esta iniciativa é dirigida a imigrantes/trabalhadores estrangeiros que:
1. Pretendam uma melhor integração na sociedade de acolhimento;
2. Pretendam submeter-se a exame de nível A2 para obterem o Título de Residência Permanente junto do SEF;
3. Pretendam submeter-se a exame de nível A2 para requererem junto do Ministério da Justiça a Nacionalidade Portuguesa.
As inscrições vão decorrer de 01 de Novembro a 30 de Novembro de 2015.Para informações gerais e inscrições devem se contatados os serviços administrativos da Atlas – Cooperativa Cultural utilizando para o efeito os seguintes contatos:Tel.: 253 273 165 – Tlm.: 937 787 420
folheto-portugues-estrangeiros-2016
CURSO DE PORTUGUÊS P/ ESTRANGEIROS 2013

A ATLAS – Cooperativa Cultural agendou para a próxima 4.ª feira, dia 18 de Maio, ao início da tarde, a Sessão de Abertura de uma nova turma de Português P/ Estrangeiros.

Refira-se que o Curso a desenvolver pela ATLAS – Cooperativa Cultural é de nível A2, o que à face da Legislação em vigor, permitirá a todos aqueles que o frequentem e tenham aproveitamento, preencher um dos requisitos para requererem Autorização de Residência Permanente ou junto do Ministério de Justiça, a aquisição da nacionalidade portuguesa.

Os interessados em frequentar o Curso de Português para Estrangeiros, devem inscrever-se pessoalmente, no nosso Departamento de Formação Profissional, situado no Largo do Dr. Tito Fontes n.º 119 – 4.º andar 4000-538 Porto (Junto à Estação do Metro – Trindade) de 2.ª a 6.ª feira das 10h às 13h e das 14h às 18 horas.

 –

CURSO DE PORTUGUÊS PARA ESTRANGEIROS 2012

Estão abertas as inscrições para o Curso de Português Para Estrangeiros, cujo início está agendado para 6ª Feira, dia 30 de Março, pelas 17 horas, na sede da ATLASCOOP, no Porto.

Este curso é dirigido a todos os cidadãos estrangeiros/as que pretendam aprofundar conhecimentos com o objectivo de efectuarem o Exame de Certificação A2 que irá decorrer em Maio na FLUP.

Para mais informações é favor contactar com Patrícia Espírito Santo através do Tel.: 222 082 924/ E-mail: atlascoop.secretaria@gmail.com.

Curso de Português para Estrangeiros 2010

Estão abertas as inscrições para o Curso de Português para Estrangeiros, que irá decorrer de Maio a Novembro de 2010, na cidade do Porto. Atendendo às necessidades e disponibilidade dos potenciais interessados, o curso decorrerá aos Domingos das 19h00 às 21h00 e permitirá após o seu percurso com aproveitamento, a Certificação de nível A2, habilitação suficiente para os interessados solicitarem Autorização de Residência Permanente ou, se for o caso, requerem a Nacionalidade Portuguesa.

Esta acção de formação linguística – comunicacional, tem a duração de 50 horas, a que correspondem 25 aulas com a duração de 2 horas.

O Curso de Português para Estrangeiros é uma iniciativa da CNLI – Comissão Nacional para a Legalização de Imigrantes estando a organização técnico-pedagógica e a Certificação a cargo da ATLAS – Cooperativa Cultural.

Para informações complementares sobre esta iniciativa, os interessados devem contactar com a CNLI – Linha Imigrante 707 201 183.

OBS.: O início do Curso está previsto para 16 de Maio de 2010, pelas 19 horas, no Porto.

.

PRECISA-SE SOLICITADOR/A – PORTO

Está a decorrer até 30 de Novembro de 2011, um Concurso para selecção de jovem solicitador/apara intervenção em processos simples mas de natureza especializada.

Valoriza-se alguma experiência na função, capacidade de adaptação e gosto por contacto com cidadãos estrangeiros.

Todos os interessados devem enviar o seu currículo acompanhado de carta manifestando o seu interesse para: atlascoop.dfp@gmail.com.

.

CONSELHO DE MINISTROS APROVA APLICAÇÃO DO ACORDO ORTOGRÁFICO

Resolução do Conselho de Ministros n.º 8/2011

A língua portuguesa é um elemento essencial do património cultural português. A protecção, a valorização e o ensino da língua portuguesa, bem como a sua defesa e promoção da difusão internacional, são tarefas fundamentais do Estado, consagradas na Constituição. A prossecução destes objectivos é, igualmente, um desígnio do XVIII Governo Constitucional, materializado na adopção de uma política da língua, unificada e eficaz, como eixo fundamental do desenvolvimento cultural, económico e social dos Portugueses.

Ao Governo compete criar instrumentos e adoptar medidas que assegurem a unidade da língua portuguesa e a sua universalização, nomeadamente através do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa e da promoção da sua aplicação.

A presente resolução do Conselho de Ministros determina a aplicação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa no sistema educativo no ano lectivo de 2011 -2012 e, a partir de 1 de Janeiro de 2012, ao Governo e a todos os serviços, organismos e entidades na dependência do Governo, bem como à publicação do Diário da República.

O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, assinado em Lisboa em 1990, aprovado pela Resolução da Assembleia da República n.º 26/91 e ratificado pelo Decreto do Presidente da República n.º 43/91, ambos de 23 de Agosto, simplifica e sistematiza vários aspectos da ortografia e elimina algumas excepções ortográficas, garantindo uma maior harmonização ortográfica. O Acordo Ortográfico incide apenas sobre a ortografia, mantendo -se a pronúncia e o uso das palavras inalteráveis. Deve salientar -se que não se trata do primeiro acordo sobre a ortografia do português ou a primeira convenção ortográfica da língua portuguesa.

Esta resolução adopta, ainda, o Vocabulário Ortográfico do Português, produzido em conformidade com o Acordo Ortográfico, e o conversor Lince como ferramenta de conversão ortográfica de texto para a nova grafia, disponíveis e acessíveis de forma gratuita no sítio da Internet  www.portaldalinguaportuguesa.org e nos sítios da Internet de todos os departamentos governamentais, ambos desenvolvidos pelo Instituto de Linguística Teórica e Computacional (ILTEC) com financiamento público do Fundo da Língua Portuguesa.

Ainda, para garantir que a aplicação do Acordo Ortográfico é efectuada de forma informada, tanto pelos portugueses em geral como pelas entidades referidas na resolução, prevê -se a realização de iniciativas de informação e de sensibilização e a divulgação de conteúdos de esclarecimento da aplicação do Acordo Ortográfico no sítio da Internet de cada departamento governamental.

O Acordo Ortográfico visa dois objectivos: reforçar o papel da língua portuguesa como língua de comunicação internacional e garantir uma maior harmonização ortográfica entre os oito países que fazem parte da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Em primeiro lugar, a aplicação do Acordo Ortográfico e a definição de uma base ortográfica comum aos oito países que partilham este património linguístico permitem reforçar o papel da língua portuguesa como língua de comunicação internacional. Trata -se de algo particularmente relevante na criação de oportunidades e na exploração do seu potencial económico, cujo valor é consensualmente reconhecido.

Este instrumento visa contribuir para a expansão e afirmação da língua através da consolidação do seu papel como meio de comunicação e difusão do conhecimento, como suporte de discurso científico, como expressão literária, cultural e artística e, ainda, para o estreitamento dos laços culturais.

Deve referir -se que a cooperação no seio dos países de língua portuguesa tem assumido uma importância crescente, o que levou à criação, pelo Governo, do Fundo da Língua Portuguesa, destinado a promover a língua como factor de desenvolvimento e de combate à pobreza.

Em segundo lugar, a harmonização ortográfica nos países da CPLP é fundamental para que os cerca de 250 milhões de falantes, presentes em comunidades portuguesas no estrangeiro, nos países de língua oficial portuguesa ou, ainda, integrados no crescente número de pessoas que procuram a língua portuguesa por outras razões, possam comunicar utilizando uma grafia comum.

O Acordo do Segundo Protocolo Modificativo do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, aprovado pela Resolução da Assembleia da República n.º 35/2008 e ratificado pelo Decreto do Presidente da República n.º 52/2008, ambos de 29 de Julho, determinou uma nova forma de entrada em vigor do Acordo Ortográfico com o depósito do terceiro instrumento de ratificação. Assim, e nos termos do Aviso n.º 255/2010, de 13 de Setembro, publicado no Diário da República, 1.ª série, de 17 de Setembro de 2010, o Acordo Ortográfico já se encontra em vigor na ordem jurídica interna desde 13 de Maio de 2009.

Para salvaguardar uma adaptação e aplicação progressivas dos termos do Acordo Ortográfico, a referida resolução prevê, para determinadas entidades, um prazo transitório de seis anos para a implementação da nova grafia.

Considerando a existência de diversos recursos, em papel ou informáticos, já disponíveis em Portugal, destinados ao apoio à expressão escrita e à produção de texto em língua portuguesa em consonância com as novas regras expressas no Acordo Ortográfico, a utilização da nova grafia está a ser gradualmente introduzida nos hábitos quotidianos dos Portugueses. A adopção do Acordo Ortográfico pelos órgãos de comunicação social tem vindo a contribuir, numa base quotidiana e de forma progressiva e natural, para a familiarização da população com as novas regras ortográficas. A sua aplicação pelas diversas entidades públicas e a sua utilização nos manuais escolares serão determinantes para a generalização da sua utilização e, por consequência, para a sua adopção plena.

A este propósito, cumpre esclarecer que, nos termos da Lei n.º 47/2006, de 28 de Agosto, e do Decreto -Lei n.º 261/2007, de 17 de Julho, os manuais escolares são adoptados por períodos de seis anos, de acordo com um calendário já estabelecido e que importa manter em virtude do investimento feito pelas famílias e pelo Estado na sua aquisição ou comparticipação, adequando a este calendário a utilização progressiva do Acordo Ortográfico, visando que, até ao final do período transitório de seis anos, todos os manuais apliquem a grafia do Acordo Ortográfico. Ora, uma vez que se encontra a decorrer o período transitório, compete ao Governo garantir que os cidadãos disponham de instrumentos de acesso universal e gratuito para a aplicação do Acordo Ortográfico e definir atempadamente os procedimentos a adoptar.

Assim: Nos termos da alínea g) do artigo 199.º da Constituição, o Conselho de Ministros resolve:

1 — Determinar que, a partir de 1 de Janeiro de 2012, o Governo e todos os serviços, organismos e entidades Diário da República, 1.ª série — N.º 17 — 25 de Janeiro de 2011 489 sujeitos aos poderes de direcção, superintendência e tutela do Governo aplicam a grafia do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, aprovado pela Resolução da Assembleia da República n.º 26/91 e ratificado pelo Decreto do Presidente da República n.º 43/91, ambos de 23 de Agosto, em todos os actos, decisões, normas, orientações, documentos, edições, publicações, bens culturais ou quaisquer textos e comunicações, sejam internos ou externos, independentemente do suporte, bem como a todos aqueles que venham a ser objecto de revisão, reedição, reimpressão ou qualquer outra forma de modificação.

2 — Determinar que, a partir de 1 de Janeiro de 2012, a publicação do Diário da República se realiza conforme o Acordo Ortográfico.

3 — Determinar que o Acordo Ortográfico é aplicável ao sistema educativo no ano lectivo de 2011 -2012, bem como aos respectivos manuais escolares a adoptar para esse ano lectivo e seguintes, cabendo ao membro do Governo responsável pela área da educação definir um calendário e programa específicos de implementação, sem prejuízo do disposto no número seguinte.

4 — Manter a vigência dos manuais escolares já adoptados até que sejam objecto de reimpressão ou cesse o respectivo período de adopção, previsto no artigo 4.º da Lei n.º 47/2006, de 28 de Agosto, e no artigo 2.º do Decreto-Lei n.º 261/2007, de 17 de Julho.

5 — Determinar que cada departamento governamental deve desenvolver iniciativas de informação e de sensibilização e assegurar a divulgação de conteúdos no respectivo sítio da Internet, para esclarecimento da aplicação do Acordo Ortográfico.

6 — Para os efeitos dos números anteriores, adoptar o Vocabulário Ortográfico do Português e o conversor ortográfico Lince, disponíveis no sítio da Internet

www.portaldalinguaportuguesa.org e nos respectivos sítios da Internet dos departamentos governamentais.

7 — Determinar a criação de uma rede de pontos focais para acompanhamento da aplicação do Acordo Ortográfico composta por representantes nomeados pelos membros do Governo responsáveis pelas seguintes áreas:

a) Negócios estrangeiros;

b) Finanças;

c) Procedimento legislativo;

d) Educação;

e) Ensino superior;

f) Cultura;

g) Assuntos parlamentares.

Presidência do Conselho de Ministros, 9 de Dezembro

de 2010. — O Primeiro -Ministro, José Sócrates Carvalho

Pinto de Sousa.

.

II ENCONTRO DE MULHERES IMIGRANTES

A ATLAS – Cooperativa Cultural, através da CAMICOOP – Comissão de Apoio à Mulher Imigrante, vai realizar no sábado, dia 2 de Junho, das 15h às 18h, o II ENCONTRO DE MULHERES IMIGRANTES.

Este evento irá decorrer no Auditório da Junta de Freguesia de Santo Ildefonso – Porto e conta com a participação de Técnicos (as) e Mulheres Imigrantes ligadas a estruturas de apoio à integração.

O Programa é o seguinte:

15:15 H – Recepção dos Participantes (Mulheres Imigrantes e Técnicas de Apoio de Inserção/ Psicólogos/ Técnicos de Serviço Social/ Educadores Sociais/ etc).

Constituição da Mesa do Encontro:

Sandra Batista – Em representação da ATLAS/Camicoop.

Isabel Soares – Em representação da APDES – Associação Piaget para o Desenvolvimento.

Nome a Indicar – Em representação da APF-Norte – Associação para o Planeamento Familiar.

Manuel Solla – Em representação da CNLI – Comissão Nacional para a Legalização de Imigrantes.

15:20 H – Apresentação dos Temas:

• “Estatuto e Direitos Sociais das trabalhadoras do serviço doméstico”

• “Vulnerabilidades acrescidas das trabalhadoras do sexo imigrantes”

• “Tráfico de Seres Humanos”

16:45 H – Coffe Break.

17:00 H – Debate sobre as temáticas abordadas e esclarecimento de dúvidas sobre as alterações à Lei de Estrangeiros (cuja proposta se encontra na Assembleia da República) e informação jurídica, Pedidos de Nacionalidade e Mediação Laboral.

18:00 H – Leitura dos sumários das conclusões e encerramento dos trabalhos do II EMI – Porto.

 .

PORTUGUÊS PARA ESTRANGEIROS – CERTIFICAÇÃO

Irá decorrer nas instalações da ATLASCOOP no Porto, o processo de avaliação de nível A1 para os formandos estrangeiros inscritos no Curso de Português Para Estrangeiros – nível A2. A chamada para avaliação irá ter lugar no dia 29 de Novembro, 3ª feira, pelas 15 horas.

Para obter outras informações é favor ligar para 222 082 924.

 .

PRECISA-SE SOLICITADOR/A – BRAGA

Está a decorrer até 5 de Dezembro de 2011, um Concurso para selecção de jovem solicitador/a para intervenção em processos simples mas de natureza especializada.

Valoriza-se alguma experiência na função, capacidade de adaptação e gosto por contacto com cidadãos estrangeiros.

Todos os interessados devem enviar o seu currículo acompanhado de carta manifestando o seu interesse para: atlascoop.secretaria.braga@gmail.com.

 .

PROGRAMA JUVENTUDE EM AÇÃO

A Agência Nacional do Programa Juventude em Ação acaba de aprovar o Projeto “SEJA BEM-VINDO”apresentado pela ATLASCOOP e cujo início está agendado para 02 de Outubro de 2013, no Porto.

Com o Projeto “SEJA BEM-VINDO” pretende-se sensibilizar e informar a Comunidade Escolar – Professores, Educadores, Pais, Auxiliares de Ação Educativa e alunos para o processo de integração e legalização de alunos estrangeiros, respeitando a diferença e valorizando a educação intercultural.

Este projeto aceita e promove a integração de voluntários/as portugueses e estrangeiros/as na sua gestão e operacionalização.

Para mais informações é favor ligar para 222 082 924.

 .

 Declaração Anual de Rendimentos – IRS

Esta mensagem é para todos(as) os(as) cidadãos(ãs) que estão neste momento a preparar a entrega da sua Declaração Anual de Rendimentos – de IRS.

A Atlas – Cooperativa Cultural, pauta a sua ação e atividades por uma política de sustentabilidade e responsabilidade social. Como resultado das nossas atividades e empenhamento social e cooperativo o Ministério dos Negócios Estrangeiros – IPAD, concedeu-nos o estatuto de Pessoa Coletiva de Utilidade Pública. Por decisão de 20 de Fevereiro de 2014, o setor de Educação da UNESCO, certificou a Atlas – Cooperativa Cultural, CRL – C. F. profissional como Escola Associada da UNESCO.
É nossa intenção continuar a trabalhar a Educação para a Paz, a promoção da defesa dos Direitos Humanos e a Cooperação para o Desenvolvimento Sustentável e Solidário, dando particular destaque à nossa participação no quadro da OCPLP – Organização Cooperativista dos Povos de Língua Portuguesa.

Em 2011/2012 – Trabalhamos em regime de parceira com o Projeto “Djunta Mon” – Recolha e envio de material didático e pedagógico para as Escolas de Cabo Verde.

Em 2014/2014 – Estamos a trabalhar os Projetos próprios:

1.º “Seja Bem Vindo” – Apoio à integração de jovens em contexto escolar em Portugal. Este Projeto foi aprovado pela U.E..

2.º “Dez Bibliotecas de Língua Portuguesa para o Senegal” – recolha e envio de Bibliotecas para Liceus que ensinam Português no Senegal. Este Projeto encontra-se na fase final.

Para 2014/2015 – Queremos trabalhar a integração de jovens em Portugal – Porto e implementar uma 2.ª fase das “Bibliotecas para o Senegal”.

Todas estas atividades têm contacto com a colaboração e o empenho de muitas Instituições, Câmaras Municipais, Escolas do 1.º, 2.º, 3.º /secundárias e IPPorto, além do trabalho voluntário de muitas pessoas (estudantes, professores(as) reformados(as) e outros(as).

Para prosseguir nesta senda de aproximação pacífica entre os Povos, precisamos da sua ajuda. O que decidir hoje, pode ajudar a mudar a vida de muitas pessoas. O seu gesto solidário, leva ainda o carimbo de Portugal, país de encontro de culturas, povos e saberes. Queremos muito mais que a sua generosidade, queremos o seu empenho nestes e em Projetos futuros.

Convidámos-lo(a) por isso a inscrever uma opção solidária – indicando o NIPC 504771620, na sua Declaração de IRS de 2013. Não lhe custa um cêntimo, o valor a transferir será liquidado pelo Estado.

Aproveitamos para lhe solicitar que divulgue esta informação / desafio e os seus propósitos junto de familiares e amigos, ajudando assim a construir esta Rede Solidária.

Para informações complementares: 222 082 924 – Porto / 253 273 165 – Braga ou atlascoop.dfp@gmail.com

 .
 Sessão de Informação

Formação sobre a Lei da Nacionalidade e Apresentação do Gabinete de Mediação Imigrante

Sessão de Informação / Formação sobre a Lei da Nacionalidade e Apresentação do Gabinete de Mediação Imigrante, promovida pela Atlas – Cooperativa Cultural, a realizar no próximo dia 27 de Fevereiro, pelas 11H00, na Escola Profissional de Economia Social – Centro de Recursos (Biblioteca) situada na Rua D. João IV 1000-1006 Porto.

A sessão supra referida terá como objectivos: abordar a Lei da Nacionalidade e divulgar o Gabinete de Mediação e Apoio ao Imigrante, bem como, o seu trabalho desenvolvido junto dos membros das comunidades imigrantes.

Esta apresentação será dirigida a:

Funcionários Administrativos das Escolas;
Professores que trabalhem com regularidade com alunos estrangeiros,
Técnicos de Apoio Social,
Assistentes Sociais,
Psicólogos que trabalhem em projetos comunitários de base local e outros potenciais interessados nomeadamente dirigentes de Associações de Imigrantes ou de apoio a imigrantes.

Pretende-se, pois, a articulação de esforços no sentido de uma melhor integração dos mesmos.

Agradecendo, desde já, a atenção de V. Exa., aguardaremos um ulterior contacto, e o preenchimento da ficha de inscrição por cada elemento participante, ainda que integre a mesma entidade, a fim de confirmar a V/ presença tão desejada pela Atlas.

 .

Ação In/formativa s/ a Lei da Nacionalidade + Apresentação do GMI

A Atlas, com o apoio logístico da Escola Profissional de Economia Social, está a promover uma Ação que terá como objetivos primordiais: abordar a Lei da Nacionalidade e divulgar o Gabinete de Mediação Imigrante, bem como o seu trabalho desenvolvido junto dos membros das comunidades imigrantes.A presente iniciativa será dirigida a Funcionários Administrativos das Escolas; Professores que trabalhem com regularidade com alunos estrangeiros; Técnicos de Apoio Social como sejam: Assistentes Sociais, Sociólogos e Psicólogos, que trabalhem em ambiente escolar ou em projetos comunitários de base local e outros potenciais interessados, nomeadamente dirigentes de Associações de Imigrantes ou de Apoio a Imigrantes.

A referida Ação vai ocorrer no próximo dia 27 de Fevereiro, pelas 11 horas no Centro de Recursos (Biblioteca) da EPES – Rua D. João IV, n.ºs 1000-1006, 4000-037 Porto.

 .
 Atlas continua a dinamizar Rede de Apoio a Refugiados em Braga

A rede conta com o apoio institucional de diversos organismos públicos e privados. Estrangeiros que solicitem, em Portugal, o estatuto de Refugiado são prioridade de intervenção da RAR.

A Rede de Apoio a Refugiados (RAR) tem intervindo em processos de acompanhamento a estrangeiros que gozem do estatuto de refugiados, em Portugal. Estes migrantes fazem parte de um grupo de pessoas que se veem forçadas a sair do seu país pela existência de conflitos armados. Nesse sentido, Portugal já assumiu compromissos internacionais para acolher parte das pessoas que reúnam condições para solicitar o estatuto de refugiado.
A RAR participará nessa iniciativa humanitária e social, prestando apoio informativo, orientação e acompanhamento a cidadãos. Já a partir de setembro, e até dezembro, segundo nota de imprensa da autoria do presidente da Atlas Cooperativa Cultural, a RAR levará a cabo uma “campanha de sensibilização da Opinião Pública para a situação dos refugiados”, procederá ao recrutamento de “voluntários sociais para o acompanhamento de processos de integração de Refugiados em Portugal” e estabelecerá contactos institucionais para “assegurar condições dignas de acolhimento de Refugiados, no distrito de Braga”.
Neste momento, a RAR está a apoiar um casal com cinco filhos, proveniente da República do Togo, facilitando os contactos com a Segurança Social de Vila Real para assegurar o seu alojamento condigno. Paralelamente, diz-nos Manuel Solla, contactos formais estão a ser ultimados em Pevidém, Guimarães, para a instalação de um Posto Informativo da RAR na Junta dessa freguesia.
 .
“Ter amigos em toda a parte é como se conquista hoje o mundo”

É esse o lema do Grupo Português da Liga da Amizade Internacional, uma organização que conta com uma filosofia de trabalho completamente virada para os jovens recém-formados.

“Dotar os jovens de saberes e experiência profissional em empresas nacionais e multinacionais sedeadas em países da União Europeia” é uma das balizas da Liga da Amizade Internacional (IFL), que tem, desde 1948, o estatuto de Organização Não Governamental consultiva, junto da UNESCO. A organização, cuja presença em Portugal remonta ao fim da década de 70, pretende proporcionar aos jovens recém-formados experiências laborais em países estrangeiros, para que consubstanciem a sua formação prática noutras realidades sociais desconhecidas. Nesse sentido, a IFL fica encarregue de estabelecer os contactos, do acompanhamento dos jovens durante a sua ausência de Portugal e de promover­ o tão desejado ingresso no mercado laboral.
Em Portugal, a IFL surge em agosto de 1979, tendo obtido reconhecimento oficial um ano mais tarde. Desde essa altura, como diz Américo Lemos, representante legal da IFL, numa nota informativa enviada ao Diário 560, a organização tem promovido “uma nova filosofia de viver e de pensar, face à mudança dos tempos, em que era necessária a consolidação da democracia”. Nesse sentido, fundou, juntamente com outros parceiros, o Conselho Nacional de Juventude e estabeleceu um “protocolo de cooperação” com a Cruz Vermelha Portuguesa, como nos conta Américo Lemos.
Atualmente parceira do Grupo Bristol, para “proporcionar realização pessoal e profissional dos alunos em contexto global”, a IFL tenta promover a amizade e a “compreensão entre pessoas de diferentes culturas, através de viagens, troca de correspondência eletrónica e atividades sociais”, como é possível ler no sítio oficial da internet da organização. Está espalhada nos cinco continentes e conta com representantes legais em vários países, desde a China ao Uganda.
Em Portugal, o IFL realizou o seu quarto congresso Internacional, que contou com delegados dos 15 países espalhados pela Europa, Índia, África e Canadá.
.

Curso de Português para Estrangeiros 2009
A Atlas – Cooperativa Cultural, vai organizar de Março a Junho, um Curso de Português para Estrangeiros, cujo objectivo central é permitir uma aprendizagem da língua portuguesa de acordo com o nível A 2 do Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas.

O programa do curso foi desenhado para permitir uma abordagem da compreensão da leitura e da expressão escrita, considerados suficientes para os alunos estrangeiros conseguirem aprovação no Teste Diagnóstico do conhecimento da língua portuguesa, revisto na Portaria conjunta dos Ministérios da Justiça e da Educação – Portaria nº 1403 – A/2006 de 15 de Dezembro.

A população-alvo deste curso são todos os estrangeiros (adultos ou menores a frequentar o ensino básico) que pretendam num ambiente Intercultural, conhecer e aprender a língua portuguesa através de “viagens” pelas cidades, património, ambiente, geografia, historia recente e símbolos de nacionalidade portuguesa e em particular todos os cidadãos estrangeiros que desejam a atribuição ou aquisição de nacionalidade portuguesa de acordo com “ Lei da Nacionalidade” – Decreto-Lei nº 237 – A/2006 de 14 de Dezembro.

De forma a permitir uma participação alargada, as aulas decorrerão, aos domingos das 16h às 18h, estando agendado o início do curso para 15 de Março.

Informações, programa e inscrições podem ser asseguradas na secretaria da Atlas – Coop. Cultural na Rua de Sta. Margarida, nº 2 A – 3ºdto. Sala 3 – 4710-306 Braga (edifício do jornal Diário do Minho) ou ainda pelo Tel. 253 273 165 / Telm. 960 459 932, todos os dias úteis das 10h às 12.30h e das 15h às 20horas.